Alguns erros que Product Managers devem evitar

Pablo Menezes
5 min readMay 21, 2018

Como diria o Tio Ben, “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades”. E como um Product Manager, você possui inúmeras responsabilidades (talvez algum poder maneiro também).

Montar o roadmap do Produto, criar e priorizar o backlog do Produto, acompanhar as métricas do produto, buscar novas ideias e soluções são apenas algumas das suas tarefas.

Mas os Product Managers precisam também cuidar para evitar alguns erros que podem impactar diretamente na performance de seu produto.

Abaixo listei alguns erros que nós Product Managers devemos evitar.

1. Não dar atenção para o que os usuários estão dizendo

Uma das maiores habilidades que um Product Manager deve ter é a de ouvir o que os seus usuários estão dizendo. Ouvir o que o seus clientes estão dizendo nas redes sociais ou ouvir o que o pessoal do Atendimento ao Cliente fala para você enquanto você está indo buscar aquele chafé na máquina é altamente importante para que o Product Manager saiba como está a saúde e a reputação do seu produto.

Não estar disposto a ouvir o que as pessoas têm a dizer (“ah, faz assim, me manda por email que depois eu avalio”) e nem se interessar pelo que as pessoas falam de seu produto (“tem uma área que cuida das reclamações, eles que se virem por lá”) pode afastar o Product Manager do seu próprio produto. Apesar de você ser o Dono do Produto, você precisa que pessoas usem seu produto, ou então não adiantada nada. É importante ouvir essas pessoas e o que elas estão reclamando, e talvez reconsiderar algumas prioridades do seu produto.

2. Não ter foco

Focar em muitas coisas ao mesmo tempo, além de realmente não focar em nada, também faz com se gaste muita energia e tempo sem trazer muitos resultados.

Um PM deve garantir que o seu produto não tenha muitas frentes de trabalho abertas ao mesmo, pois, além da dificuldade de manter e priorizar um backlog de produto que equilibre todas esses pontos, o que realmente deveria estar sendo priorizado acaba ficando para trás, prejudicando o seu produto.

É importante saber para qual direção a empresa ou o produto está indo e quais são os indicadores que ajudam a descobrir se a empresa está no caminho certo ou não, e trabalhar o seu produto sempre mirando nesses objetivos.

3. Ser Data-driven ou Gut feeling demais

Ser extremamente focado em métricas e pautar todas as decisões de priorização do seu produto em Métricas, em um primeiro momento, pode parecer fazer sentido, mas um Product Manager pode deixar passar algumas coisas e perder algumas oportunidades.

É importante que o PM conheça, além do seu público-alvo e suas personas, o ambiente cultural ao qual o produto dele está inserido. Algumas decisões de produtos podem ser baseadas não em métricas do analytics ou taxas de conversão em um funil, mas sim por questões culturais. Um PM que conhece e entenda bem a cultura de seu público-alvo pode enxergar muitas melhorias e oportunidades sem precisar medir.

Ao mesmo passo que o contrário também é válido. Não adianta ser totalmente gut feeling e em nenhum momento considerar algumas métricas. Não adianta nada ter uma certa ação que só funciona no Internet Explorer se 2% dos usuários usam o navegador e representam 0,2% do faturamento.

4. Scope Creep

Tudo começa com um “nossa, está bem legal. Consegue adicionar x antes de subir para produção?” e de repente, aquela task de troca de label vira um épico gigante, e provavelmente, não irá agregar muito valor ao produto. Ou pode começar com um “nossa, gostei da última atualização do sistema. Na feature X que conversamos anteriormente, você consegue adicionar as funcionalidades Y e Z? Vai ser muuuuito importante para nossa área” e de repente você tem um monte de funcionalidade sem sentido sendo feitas e o que é importante de fato, ficou para trás.

Um PM deve se atentar muito para evitar o Scope Creep. Scope Creep é a forma como um aumento considerável do escopo é chamado. Algumas causas para o Scope Creep podem ser falha na fase de concepção da funcionalidade, falha de comunicação entre o PM e os stakeholders ou falta de entendimento do objetivo da funcionalidade.

Antes de priorizar e descrever uma funcionalidade, o PM precisa validar com os stakeholders se a feature que eles querem é aquela mesma e se todos os objetivos estão sendo atingidos, assim a chance de surpresas aparecem durante o caminho diminui.

5. Não dizer “não!”

No dia-a-dia de um Product Manager, pedidos chegarão até você de todas as maneiras possíveis: pessoalmente, hangouts, Slack, pombo-correio, etc, e apesar da melhor das intenções, muitas dessas funcionalidades podem não agregar valor ou podem não fazer sentido para o produto ou ainda, podem conflitar com alguma funcionalidade já existente no produto.

É importante o PM escutar sim o que foi pedido, analisar, e se for algo que não faz sentido (ou que, de alguma maneira não será feito), já dar um feedback logo. A pessoa que está do outro lado tem uma expectativa sobre o que pediu. Ao dizer que você “vai ver” e não dar nenhum retorno pode abrir margem para aquelas famigeradas perguntas de corredor: “e minha demanda, quando fica pronta?” ou aqueles emails com cópia até para o dono da empresa cobrando um prazo para a implementação ou uma posição sobre a implementação da funcionalidade.

Quais outros erros nós Product Managers devemos evitar? Participe nos comentários!

Originally published at pablomenezes.me.

--

--

Pablo Menezes

I talk about Product Management, Projects, Agile, Leadership and other stuffs